sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Dia Nacional de Combate a Intolerância Religiosa no Recife


Pernambuco realiza ação de combate a intolerância religiosa.


Alexandre Dias, AFRO Educação de São Lourenço da Mata.


No dia 21 de Janeiro (quinta feira), o Fórum Estadual de Educação para as Relações Étnicosraciais de Pernambuco, formado parietalmente pelo poder público e a sociedade civil organizada, realizou a primeira caminhada pelas ruas do Recife pelo fim da intolerância religiosa, seguindo a proposta da lei federal 11.635 de 27 de Dezembro de 2007 que institui o dia 21 de Janeiro como Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, ficando a data incluída no calendário Cívico da União para fins de comemoração oficial.


Com saída da Praça Maciel Pinheiro às 17h, seguiu com faixas e caro de som pela rua da Imperatriz, passando pela Ponte de Ferro, Rua Nova e AV. Dantas Barreto, com término no largo do Carmo do Recife. Várias representações das religiões se fizeram presentes, destacando-se o povo da Jurema Sagrada, que representado por Alexandre L'Omi L'Odò naquele momento, teve como forte marca os elementos religiosos, o cachimbo e o maracá, elementos litúrgicos e símbolos da resistência desse povo, além da fala política proferida pelo sacerdote que discursou sobre a importância do respeito entre os seres e sobre tudo a importância de voltarmos as nossas matrizes divinas ancestrais, podendo assim entender os elementos e símbolos da religião, que é uma das que mais sofre o racismo e a intolerância religiosa, por ser uma religiosidade de resistência do povo indígena e negro do nordeste.


Carlos Tomáz- AFRO LGBT PE. Segurando o cartaz amarelo.


Pontando ainda com a presença do MNU, do Movimento AFRO LGBT, do Quilombo Cultural Malunguinho e outras representações como a CUT, a Afro Educação de São Lourenço da Mata e o Mestre Professor Teólogo afro Jairo de Jesus, as falas políticas tiveram grande ênfase nos discursos que focaram a crítica ao racismo e a formação de uma forte expressão política de exclusão e intolerância religiosa fomentada e alimentada por alguns segmentos "cristãos" neopentencostais.


A experiência desta primeira caminhada deu um susto ao centro do Recife, que despreparado ainda para esta discussão, recebeu com um pouco de receio o protesto, e muitos chegaram em alguns momentos a sequer aceitar os panfletos distribuídos com o texto oficial da caminhada.



Sendo o centro de nossa cidade um pólo de comércios "ilegais", não seria diferente de outras metrópoles do Brasil, que existisse os carrinhos de som, ou bicicletas com auto-falantes, que ajudam a proliferar os CDs evangélicos que a todo tempo enchem nossos ouvidos de intolerância, racismo e preconceito, satanizando as religiões de matrizes africanas e indígenas e disseminando um conceito filosófico baseado na "verdade e salvação". Estas práticas contribuem para o avanço da Intolerância Religiosa, que hoje é uma realidade forte em nossa sociedade, pois estamos imersos o tempo todo, em uma situação de bombardeamento sonoro, com pastores e pastoras dizendo irrealidades sobre o candomblé, sobre a umbanda, sobre a Jurema Sagrada.


Alexandre L'Omi L'Odò, segurando a faixa.


Ao chegarmos no Pátio do Carmo, encontramos uma Kombi vendendo um destes produtos, e foi engraçado que eles pararam de vender na hora para ouvir as falações. Acredito eu, que pelo menos um pouco de consciência foi construída na cabeça daqueles vendedores evangélicos que assistiram tudo em silencio e contemplação.



Com o cântico da Jurema:


"Oh Juremeiro, oh Juremá

A Folha caiu serena, oh Jurema

Dentro deste Gongá"


O sacerdote L'Omi, selou as apresentações religiosas.


Alexandre L'Omi L'Odò, cantando pra Jurema Sagrada.


Segue o texto oficial do Fórum:


Caminhada pelo Dia Nacional de Combate a Intolerância Religiosa


Em vinte e sete (27) de Dezembro de 2007, foi instituída a Lei n° 11.635, que estabelece o dia vinte e um (21) de Janeiro como o Dia Nacional de Combate a Intolerância Religiosa. Essa Lei vem retificar o pensamento de que um Estado laico não implica sujeitos com práticas laicas.

Embora compreendamos e defendamos a laicidade, não podemos entender um Estado democrático com a existência de quaisquer tipo de discriminação frente aos povos e suas prtáicas religiosas.

Pensar uma desconstrução de preconceitos no que se refere às religiões, bem como a pluralidade que as compõe, requer uma formação educacional que contemple o respeito às religiões.

Nessa perspectiva afirmativa de educação, o Fórum Estadual de educação para as Relações Étnicoraciais convida a população pernambucana para uma Caminhada pelo Dia de Combate à Intolerância Religiosa, a fim de apoiar o enfrentamento a esse tipo de discriminação e estimular a valorização da diversidade através do respeito à convivência pacífica entre as diversas religiões.

No Largo da Igreja do Carmo do Recife.

"É graça divina começar bem.
Graça maior é persistir na caminhada certa.
Mas graças das graças é no desistir nunca."
Dom Hélder Câmara.

Alexandre L'Omi L'Odò.
Quilombo Cultural Maluguinho.
alexandrelomilodo@gmail.com

Nenhum comentário:

Vídeos Negros nossos!!

Loading...

Quilombo Cultural Malunguinho

Quilombo Cultural Malunguinho
Entidade cultural da resistência negra pernambucana, luta e educação através da religião negra e indígena e da cultura afro-brasileira!