sexta-feira, 26 de junho de 2015

Acorda Povo de Peixinhos 2015 - Um sucesso comunitário

Acorda Povo de Peixinhos. Saída. Foto de Marquito.

Acorda Povo de Peixinhos
Um sucesso comunitário

Este ano de 2015, recebi pela primeira vez em minha casa a Bandeira de São e dos Santos juninos Santo Antônio e São Pedro, além de andor, estrela e balão. Este ritual comunitário chama-se Acorda Povo, que no bairro de Peixinhos existe a mais de 50 anos.

Na virada do dia 22 de junho para o dia 23, fui buscar, junto aos meus afilhados de jurema, na Rua da Caixa D’água, no mercadinho de Laércio a procissão. Lá já se encontrava o andor enfeitado e todos os elementos necessários para realizarmos esta tradição que leva todos os anos cerca de 500 pessoas às ruas do bairro na madrugada.

O GCASC – Grupo Comunidade Assumindo Suas Crianças, organizador a 29 anos desta tradição, durante a noite do dia 22 realizou apresentações de quadrilha junina tradicional, fez roda de coco e animou a Av. Nacional com muita alegria das crianças pertencentes à instituição. Já perto da meia noite, horário sagrado para início dos rituais, todos se destinaram ao local onde ano passado foi deixada a bandeira (barraca de Laércio)...

Neste momento, a Rede Globo (que pela primeira vez filmou a tradição) chegou para fazer uma matéria e filmou parte da atividade (ver no link no final do texto). Muito animado, o ritual começou comigo cantando alguns cocos junto com Anjinha do GCASC. Cantei também para Xangô e ali os tambores esquentaram para seguir o cortejo.

Rede Globo Filmando o Acorda Povo. Foto de Marquito.

 Comunidade de Peixinhos toda presente no Acorda Povo. Foto de Marquito.

Saída da Bandeira da CAsa de Laércio na Rua da CAixa D'água. Foto de Vanessa.

Logo deu meia noite em ponto, e em meio aos fogos de artifício, cantamos:

“Dona Ana saia pra fora, entregue a bandeira que chegou a hora... Acorda Povo que o galo cantou, São João é primo do Senhor. Que bandeira é essa que vamos levar? São João para festejar”...

Tiramos a bandeira e o andor e seguimos a procissão pelas ruas de Peixinhos ao som dos tambores que tocavam o ritmo do coco, acompanhados por ganzás, pandeiros, caixa e palmas de mão.

A esta altura, eu já estava muito emocionado e concentrado na energia de Xangô, pedindo por nossa paz e harmonia. Firmando o pensamento nas coisas boas que este Orixá sincretizado com São João poderia me dar devido a meu sacrifício e devoção. Vibrei muito carregando nas mãos o Oxê de Xangô, machado duplo que representa esta divindade.

A multidão feliz cantava alto e vibrava muito. Fogos, palmas de mão, saudações a Xangô e São João invadiram a madrugada silenciosa do bairro acordando de fato todo Povo.

Cantando para Xangô na hora da saída da Bandeira de São João. Foto de Marquito.

Procissão do Acorda Povo pelas ruas de Peixinhos. Foto de Marquito.

Procissão do Acorda Povo pelas ruas de Peixinhos. Foto de Marquito.

Multidão nas ruas de Peixinhos. Foto de Marquito.

Fé no Acorda povo de Peixinhos. Foto de Marquito.

Fé no Acorda Povo de Peixinhos. Foto de Marquito.

 Andor de São João. Foto de Ana Paula Rodrigues.

Alexandre L'Omi L'Odò celebrando Xangô nas ruas de Peixinhos. Foto de Mariana Vasconcelos.

Altar de Xangô em frente a minha casa. Foto de Alexandre L'Omi L'Odò.

Em frente da Casa das Matas do Reis Malunguinho. Chegada da Bandeira. Foto de Marquito.

Oriosvaldo de Almeida e Ricardo Nunes no momento da chegada da Bandeira. Foto de Marquito.

Saí correndo na frente para estar em casa na hora de receber a bandeira. Feliz com as pessoas que lá estavam, vibramos muito com a chegada da procissão na Rua da Harmonia. Nunca este Acorda Povo tinha entregado a bandeira na nossa rua, e este foi mais um fato a se comemorar. A vizinhança toda compartilhou deste momento e foi lindo demais.

Troquei de roupa, vesti-me todo de branco e aguardei... E logo em frente da minha casa se encontrava uma das imagens mais lindas que já vi... Uma multidão cantando, tocando e dançando, celebrando São João e Xangô, uma vibração tão forte que contagiou todos. Logo cedo, o banho de ervas sagradas já tinha sido preparado para o ritual do banho de São João. Toda pessoa que recebe a bandeira, tem que tomar no ato do recebimento um banho de água fria com ervas e outros elementos de axé. Quem me deu o banho foi Oriosvaldo de Almeida – Orí, poeta magnífico e grande mestre da educação da comunidade. Fiquei muito orgulhoso de ter recebido dele este axé. Afinal, este evento também é uma forma de ser consagrado pela comunidade como líder comunitário. Nesta hora me emocionei muito e senti o estremecimento do Orixá. Foi muito forte. Orei e pedi axé... Malunguinho e Xangô estavam muito próximos espiritualmente.

Banho de São João na entrada de minha casa. Foto de Taciana Renata.

Recebendo o banho pelas mãos de Oriosvaldo ed Almeida. Foto de Taciana Renata.

Colocamos andor e tudo mais pra dentro de casa e começamos a festa. Neste momento coloquei os Ilús pra tocar... Rinaldo Karinbó e Maia foram os Ogans responsáveis por me acompanhar nos cânticos para Xangô. Vibramos ao toque do Alujá e cantei toadas do nagô pernambucano para o Rei de Oyó.

O juremeiro e apresentador de palco Ricardo Nunes fez toda locução e apresentou o coco no terreiro. A festança ficou por conta do Grupo Raízes, parceiras que vieram do terreiro de Dona Marinalva do Xambá em Sapucaia para nos brindar com o baque forte do ritmo do coco desta nação. Abalaram Peixinhos! Os presentes dançaram muito e vibraram com muita emoção.

Outros artistas se fizeram presentes pra cantar o coco como Guitinho da Xambá, que animou a festa com os cocos do Grupo Bongar. Nino do Xambá também veio tocar, e fez o couro do bombo tremer. A presença destes parceiros aqui em casa me deixou muito contente.

Outras mestras de Peixinhos cantaram também... Maria do Coco por mais de meia hora cantou cocos antigos da comunidade e fez a poeira subir com muito pertencimento. Chamou também por Dona Elisa do Coco, que não compareceu por estar organizando outro acorda povo no momento. Eu também cantei, como não poderia ser diferente. Celebramos juntos e dançamos bastante.

Grupo Raízes fazendo a festa no Acordo Povo. Foto de Ana Paula Rodrigues.

Cantora Lila cantora do Grupo Raízes. Foto de Marquito.

Guitinho do Grupo Bongar fazendo a festa. Foto de Ana Paula Rodrigues.

Guitinho do Bongar cantando coco e animando a jurema. Foto de Ana Paula Rodrigues.

Maria do Coco, mestra de tradição de Peixinhos. Foto de Marquito.

Maria do Coco fazeno a festa no terreiro. Foto de Ana Paula Rodrigues.

Servimos comidas típicas, refrigerantes e vinho. A comunidade comeu e bebeu bastante rsrsrsrsrs. Servi o vinho de mão em mão... Ato que me era obrigatório devido aos mandados da Jurema.

Dançamos e tocamos até às 4h. Hora que finalizamos re-organizando tudo e trabalhando bastante pra desmontar a festa...

Cansados mas muito felizes, todos que contribuíram com o Acorda Povo, se confraternizaram e oraram na fé em Xangô.

Neste momento também foi a abertura oficial da Casa das Matas do Reis Malunguinho, meu terreiro de Jurema, que embora não esteja em endereço fixo ainda, atende pessoas de todos os lugares nas suas necessidades. Fiquei muito feliz com isso. Mais uma etapa cumprida de  minha jornada de sacerdote juremeiro.

Só tenho a agradecer a minha família e a todos meus afilhados e afilhadas de jurema e Orixá, além dos amigos e amigas. Sem vocês jamais teria conseguido fazer algo tão grandioso e cheio de luz.

Agradeço às minhas vizinhas Geane Brito e Aline, além de Tiago e Dinha por terem caído pra dentro e nos ajudado bastante desde montar a fogueira até a decoração. Ainda ajudaram a servir as comidas na rua. Vocês tiveram uma atitude linda. Obrigado demais.

Obrigadão à Maria Betânia que fez a decoração com tanto carinho e amor, e ainda ajudou a fazer as comidas... Você é uma especialidade. Cambona de Malunguinho valente! Obrigado também a minha afilhada Vanessa, que veio pra cá e passou o dia ajudando e arrumando tudo. Montou e desmontou conosco o evento.

Obrigado à Ricardo Nunes e família. Ele mesmo rouco se garantiu em fazer a locução do evento com muito profissionalismo. Além de ter ajudado em tudo.

Obrigado especial a minha mãe, que às cinco da manhã estava ainda varrendo a rua e limpando o restante das coisas que ficou para ajeitar.

Enfim, obrigado à Xangô, à Malunguinho, à Oxum, à Exú e a São João. Eles foram os grandes parceiros espirituais desta missão. Axé.

Viva São João!
Viva Xangô!
Viva Malunguinho!
Viva a todos nós.

Felicidade é pouco. Meu coração esta cheio de luz depois deste Acorda Povo. Obrigado Olorun por tantas vitórias em minha vida. Axé!

Servindo vinho para a comunidade. Feliz estava eu. Foto de Marquito.

Firmando a fé no fogo de Xangô. Foto de Vanessa.

Altar de Malunguinho. Foto de Vanessa.

Viva São João Xangô Malunguinho! Foto de Taciana Renata.

Axé Xangô! Foto de Vanessa.

Até ano que vem, no dia 22 de junho de 2016. Momento que entregarei a bandeira à outra pessoa da comunidade. Este ano de 2015 serei o guardião da tradição! Minhas obrigações com Xangô estão firmadas! Salve a fumaça!

Links

Matéria da Rede Globo:

Matéria no Diário de Pernambuco:


Alexandre L’Omi L’Odò
Casa das Matas do Reis Malunguinho
alexandrelomilodo@gmail.com

Um comentário:

Graça disse...

Axé! Salve a nossa casa, Casa da Mata do Reis Malunguinho!
Salve a fumaça e a ciência dos mestres que sabem o que é melhor para nós, e o momento que cada coisa deve chegar as nossas mãos!
"Existem coisas que nos é dada para nós aprendermos, e outras, só nos é dada quando aprendemos!"

Vídeos Negros nossos!!

Loading...

Quilombo Cultural Malunguinho

Quilombo Cultural Malunguinho
Entidade cultural da resistência negra pernambucana, luta e educação através da religião negra e indígena e da cultura afro-brasileira!