domingo, 4 de dezembro de 2011

"Uma ideia para Pernambuco" - Lei 13.298/07, a Lei Malunguinho


"Uma ideia para Pernambuco"


Diário de Pernambuco - Editorial Assis Chateaubriand, B14. 
Recife, domingo, 4 de dezembro de 2011 
 
“Embora sancionada, a Lei 13.298, de 2007, que institui a Semana Estadual da Vivência e Prática da Cultura Afro Pernambucana, não saiu do papel. A nossa proposta é que o estado crie uma comissão, envolvendo as secretarias de Cultura e Educação e representantes dos movimentos sociais, para implantar o evento, que daria visibilidade aos nossos valores e problemas. Pelo que diz o texto da Lei, também conhecida como Lei Malunguinho, a semana deve acontecer anualmente entre 12 e 18 de setembro. A não implementação, a nosso ver, é parecida com o que está acontecendo com a Lei Federal 10.639, de 2003. Essa lei obriga o ensino da história da historia e cultura africana e afro-brasileira na educação básica, mas pouco de fez até agora para ser posta em prática. Por trás dessas atitudes estão o racismo e a clássica intolerância religiosa contra os negros e seus cultos”.

___________________ 

Publico aqui breve sugestão minha para a implementação da Lei Malunguinho. O Quilombo Cultural Malunguinho, ao longo dos 4 anos da aprovação da Lei 13.298/07, que foi sancionada no mês de setembro do citado ano, vem implementando-a de forma autônoma e ainda inexpressiva para o Estado como um todo. Como não temos recursos financeiros nem podemos ainda contar com articulações do Estado nem mesmo do povo de terreiro em sua amplitude, seguimos em frente levantando essa bandeira que é para um bem coletivo, e também, para o fortalecimento da própria Lei Federal 10.639/03. Temos que doarmos mais energia nossa para a efetivação dessas vitórias históricas do nosso povo. A Lei Malunguinho é sem dúvidas uma das grandes vitórias do trabalho do Quilombo C. Malunguinho, que visando um Pernambuco menos racista, investe todos os dias energia nessa luta. 

A mesma Assembléia Legislativa que mandou caçar e matar Malunguinho em 1835, em 2007 aprovou para o Estado essa lei que nos dá condições de trabalhar uma semana inteira nas escolas e em todos os espaços que se interessem e desejem tratar do tema da vivência e prática da cultura afro pernambucana. Isso é um pouco da reparação que o estado tem que dar a história dos Malunguinhos do Catucá, os negros/índios que lutaram pela liberdade dos oprimidos desse país.

Já colocamos em prática concretamente há três anos a lei. Vocês podem ver nesse blog, nas postagens amais antigas as fotos dos eventos realizados.

Desculpem-me a cara feia na foto, mas esse momento foi registrado pelo fotógrafo do DP no dia de minha audiência no Forum de Olinda, sobre a troca de meu nome. Estava irritado e estressado com o que ouvi da juíza. Daí me pegaram de mal jeito (kkkkkkkkkkkkkk). Dêm agô!! ...

Salve Malunguinho, Salve a Jurema, Salve a Fumaça!


Alexandre L'Omi L'Odò
Coordenação Quilombo Cultural Malunguinho 
alexandrelomilodo@gmail.com

3 comentários:

Anônimo disse...

Alexandre sou muito fã do seu trabalho e admiro a cultura negra tendo em vista que também sou uma pesquisadora vendo como e importante o trabalho dos terreiro da cultura africana em pesquise em alguns terreiro da região ouvi um pai de santo sita que a mulher não tem importa cia dentro do terreiro e que Exu odeia mulher essa palavras para mim poderia entra em debate pra pessoas que realmente não tem o conhecimento gostaria que você deixa se uma resposta desse assunto no seu blog

Alexandre L'Omi L'Odò disse...

Irmão. As pessoas que falam ou pensam dessa forma, com certeza não tiveram uma formação teológica decente dentro da nossa religião. Todas essas conspeções estão erradas. Exú em sua própria natureza é a representação do homem... portanto ele gosta da presença das mulheres sim, sem dúvidas. Foram as mulheres as fundadoras do candomblé e todas as partes do Brasil. Então ele era cuidado pelas mãos dessas mesmas mulheres. Todo esse discurso dos homens hoje é puro machismo para tomar a direção dessa religião de essência feminina. E mais, a mulher é fundamental para a prática do candomblé. Não tenha dúvidas que a pessoa que falou isso pra vc deve ser um desses babalorixás que pouco sabem da história e da teologia dessa religião.

Axé.

L'Omi.

Anônimo disse...

Alexandre adorei sua resposta pois vendo que nessas pesquisa as mulheris e sempre bem vida dentro do terreiro e sabe eixe o terreiro de muita amônia estou sempre lendo seus comentário tenha um feliz natal e prospero ano novo de muitas realização

Vídeos Negros nossos!!

Loading...

Quilombo Cultural Malunguinho

Quilombo Cultural Malunguinho
Entidade cultural da resistência negra pernambucana, luta e educação através da religião negra e indígena e da cultura afro-brasileira!