sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Viva ao Patrimônio Vivo do Mestre Galo Preto

Mestre Galo Preto e Alexandre L'Omi L'Odò. Foto de João Rogério Filho.

Viva ao Patrimônio Vivo do Mestre Galo Preto

Por Alexandre L’Omi L’Odò. 30 de dezembro de 2011.

Hoje foi um dia muito feliz para mim, enquanto produtor e amigo do querido Mestre Galo Preto e sobre tudo muito mais especial ainda para o próprio mestre que foi reconhecido oficialmente pelo Estado de Pernambuco como um Patrimônio Vivo da cultura.

Isso tem uma relevância muito grande para a história das culturas populares no Brasil, já que pouco se escreveu sobre a memória destes e destas que sempre foram os pilares mestres na construção da identidade nacional. Sobretudo, ainda podemos destacar que a cultura popular com seus protagonistas, idosos ou não, dão o tom totalmente particular a este país que ainda se utiliza de forma não equânime da imagem colorida e única da diversidade desses brinquedos populares e brincantes para fortalecer o seu turismo cultural que na absoluta maioria dos casos desqualificam estes marcos turísticos com pagamentos de cachês desrespeitosos ou simplesmente dão o esquecimento total a todos e todas.

Contudo, Pernambuco é um dos poucos estados da federação brasileira que tem uma política de reconhecimento oficial nos termos do patrimônio imaterial para seu povo. Isso é um avanço para um Estado que por natureza tem uma diversidade esplendida em manifestações culturais de diversas matrizes – indígenas, africanas e portuguesas. 

O Concurso do Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco – RPV, instituído pela Lei 12.503, de 27 de dezembro de 2004, vem desde 2005, reconhecendo e valorizando, através da concessão do título de “Patrimônio Vivo de Pernambuco”, mestres e mestras, manifestações da cultura popular e tradicional representativas da cultura pernambucana e, também concede bolsas vitalícias de apoio financeiro aos premiados. Os artistas e grupos também ganham a possibilidade mais amplamente de expandir seus trabalhos, tendo melhor acesso aos editais (privilégio por ser Patrimônio) e também devem repassar seus conhecimentos aos mais novos, visando à perpetuação e sustentabilidade da cultura e memória pernambucana. Só quem tem mais de 20 anos de trabalhos comprovados em documentações dentro da cultura e tradição de Pernambuco e que sejam residentes no Estado pelo menos a vinte anos que podem concorrer ao Prêmio. Além do mais, os premiados sempre são pessoas de grande relevância e contribuição para a cultura do povo. De fato Mestres e mestras e grupos que tem em sua trajetória uma forte ligação com a imaterialidade do imaginário pernambucano.

Já há três anos venho colocando o Mestre Galo Preto para concorrer a este sonhado prêmio. Durante mais de 4 anos, venho realizando pesquisa e inventariando a memória do Mestre e seus documentos comprobatórios. Este trabalho rendeu um catálogo histórico, com grande parte de sua cronologia documental e memória oral, que retratam o perfil genial e fortemente universal do Sr. Tomaz Aquino Leão, o guerreiro de 76 anos - o Galo Preto.

Este trabalho foi fundamental para convencer o Conselho Estadual de Cultura da importância histórica para a cultura popular deste coquista e embolador. Também, com a produção em audiovisual do seu filme “Galo Preto, o Menestrel do Coco”, 46’min. de Wilson Freire e produção minha, que pudemos fazer relembrar e refrescar a memória dos veteranos mestres e estudiosos artistas do Conselho Estadual de Cultura. Além disso, também fiz uma coleção de pequenos shows em DVD e de algumas participações em CDs e Documentários onde o Mestre aparece.

Tudo isso junto, com meus esforços em estar sempre lembrando nos sites e nos meios de comunicação como jornais etc. da importância de Galo Preto, que rendeu este merecido e tardio reconhecimento.

Minha colaboração neste processo foi profundamente motivada pelo imenso afeto que tenho ao Mestre e pelo respeito à ancestralidade negra e indígena dos meus ancestrais e dos ancestrais de Galo. Também, fui motivado pela perspectiva de contribuir de forma ativa e visível para uma história menos positivista de Pernambuco, já que também sou graduando em História pela UNICAP. Acredito que com a premiação e reconhecimento do Mestre tive meus objetivos neste processo alcançados de forma vitoriosa. 

Alexandre L'Omi L'Odò e Mestre Galo Preto no dia do anúncio do prêmio. Seguram nas mãos a matéria de jornal do Diário de Pernambuco que trazia as boas novas.
 
O Mestre Galo Preto construiu em mim uma nova possibilidade de enxergar a vida. Ele me deu o direito de ajudá-lo e o direito de ser ajudado por ele, já que ele é meu mestre em cultura e ética. Prezo demais a amizade dele e o respeito que ele teve por mim em acreditar que eu, um “menino” de Peixinhos, pobre, sem escritório, sem carro, sem formação acadêmica concluída e, desprovido de conhecimentos maiores de mercado cultural pudesse ser seu produtor executivo, cultural, artístico e em alguns momentos até empresário... (Rsrs).

Enxergo que nossa caminhada a partir de agora será mais forte e ampla. Conseguimos juntos a realização concreta de um grande objetivo: Colocar o Estado de Pernambuco para reconhecer de forma pública e oficial a contribuição importante do trabalho e talento do Mestre Galo. E como afirmou ao Jornal Diário de Pernambuco de 28 de dezembro de 2011 o presidente do Conselho Estadual de Cultura Marcus Accioly: “temos o Galo Preto, que é um cantador que possui uma história com a qual Pernambuco possui grande débito”, posso afirmar que este débito começou a ser pago de forma ainda tímida com esta premiação..., mas mesmo assim, deixando o Galo muito feliz e realizado.

Toda esta situação também foi possível com o apoio de meus amigos João Monteiro e demais do Quilombo Cultural Malunguinho, que ao longo destes anos de trabalho vem contribuindo de forma direta e indireta na construção desta história. Também agradeço à importante contribuição da OTM - Organização Trajetória Mundial, na pessoa de Ademir de Brito, seu presidente, por ter disponibilizado seu CNPJ para que eu pudesse propor através de sua empresa o nome do Mestre Galo Preto ao VII edital do Concurso de Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco. Finalmente conseguimos! Obrigado ainda por nos dar suporte jurídico para nossos negócios, projetos e shows.

À toda comunidade do coco nordestino também devoto minhas considerações. Estamos em rede! O povo do coco, ou os coquistas são uma rede de memória oral independente, viva e dinâmica. São a cultura viva e o patrimônio vivo dessa tradição diversa e rica em dança, poesia, ritmo e melodia. Este reconhecimento do Mestre também se estende para todos estes e estas que conhecemos e ainda vamos conhecer... Agora temos mais um representante oficializado em termo estadual desta nossa cultua.

Mesmo com uma oposição fraca ao nosso trabalho, vencemos (calro!). A força do amor e da honestidade, do trabalho sério e da competência venceram os inimigos do Mestre. Tem pessoas que não contribuem e ainda influenciam de forma negativa no trabalho. Já houve casos de pessoas até me chamarem de ladrão e que eu estaria usando o Galo para crescer... Querendo fazer a cabeça do Mestre contra mim etc. Ainda quiseram convencer o mestre Galo em acreditar que a relação dele com a Jurema e o movimento negro seriam nocivos ao seu trabalho, demonstrando assim uma racista contribuição à mentalidade do Mestre, que idoso poderia se influenciar por isso. Mas ele é sábio e não ouviu estes absurdos... Estes invejosos do crescimento do trabalho do velho não se deram conta que tudo que foi realizado até hoje foi com muita seriedade e isso se refletiu nesta premiação. Portanto, me sinto melhor qualificado em meu trabalho enquanto produtor com tudo isso.

Galo Preto é um homem sábio. Ele me ensinou uma coisa muito boa: “vamos caminhar juntos para sermos mais fortes. Com honestidade e cumplicidade”... Assim é!

Parabéns também aos outros dois vencedores do prêmio: A ceramista Maria Amélia da Silva, de Tracunhaém e o Maracatu Estrela de Ouro de Aliança. Grandes representantes de nossas tradições.

Este final de ano foi cheio de emoções. Agradeço à todos os amigos e amigas que de alguma forma ajudaram nosso trabalho, agradeço ao axé dos ancestrais e sobre tudo à fumaça sagrada da Jurema e à Malunguinho, por ter nos guiado todo esse tempo com força e proteção. Salve a ciência! Adupé Oxum, minha mãe soberana. Dona do brilho de minha caminhada!

Me sinto feliz por ser um catimbozeiro produtor estudante de história!

O Galo Preto – Patrimônio Vivíssimo de Pernambuco!

   OLHA O IDOSO CANTANDO by Alexandre L'Omi L'Odò

Com o pandeiro na mão, ele traz todos os ouvidos e olhares para si. Com forte memória e particular forma de improvisar e criar poesias na hora, o Mestre Galo Preto correu o mundo com sua originalidade natural e genialidade. Recentemente foi eleito pela Revista Aurora “o homem mais elegante do mundo”, por sua grande elegância, sendo comparado até como irmão gêmeo, em postura, da eleita a mais elegante do país, a empresária italiana Costanza Pascolato.

Com carisma, sorriso largo, ritmo forte e grande potencial criativo, o Mestre Galo Preto vem conquistando muitos públicos diferentes por onde passa. Traz em si a força e a presença da ancestralidade negra, evidente em sua música e trabalho. 

2012 será um ano muito importante em sua carreira retomada há quatro anos. Na altura dos seus 76 anos de idade, o Mestre acabou de ser selecionado no edital Conexão VIVO 2012, que irá levá-lo para shows em diversas partes do país. Aprovado como Patrimônio Vivo de Pernambuco nos últimos dias de 2011, terá a possibilidade concreta de gravar seu primeiro CD solo nos mais de 66 anos de carreira.

Felicidade é o nome de Galo Preto estes dias... Tendo visto o anúncio de sua nomeação como Patrimônio Vivo no Jornal da Globo as 7h da manhã do dia 28 de dezembro de 2011, acordou para a possibilidade de ter sua história reconhecida definitivamente. Ele tá que é sorriso só... Feliz e cheio de energia, já planeja uma festança de aniversário no dia 12 de março para comemorar este prêmio.

Com uma trajetória iluminada, Galo Preto dá a possibilidade ao Brasil de conhecer um pouco mais do coco, pois ele é didaticamente preocupado com o repasse de seus conhecimentos de mestre. Todo show dele é uma aula de cultura profunda. Seu repertório é sempre inédito! Tudo novo em cada show. Shows de repente... Só o refrão é o mesmo, às vezes, quando ele não inventa de pegar toda banda desprevenida com novas melodias e refrões improvisados na hora. É pura diversão ver um show de Galo... Perceber sua criatividade e velocidade em dar soluções de rima para as músicas é fantástico. 

Renovado com mais essa vitória em sua vida, o Mestre pretende fazer de 2012 um ano inesquecível em sua carreira. Quer gravar CD, viajar, compor, fazer parcerias e brincar ensinando muito em todo lugar que passar.
Antes de ser nomeado Patrimônio Vivo, ele já era Mestre Griô pelo Ministério da Cultura, projeto aprovado em 2010. Visitou muitas escolas públicas onde foi homenageado com trabalhos de crianças e adolescentes. Sempre levando sua alma moderna e inovadora para o contato com os meninos e meninas curiosos por estarem ali conhecendo um grande mestre da cultura pernambucana.

Seu trabalho não pára. O mestre está vivíssimo e cheio de força para contribuir mais ainda com a memória e a cultura pernambucana, conseqüentemente brasileira. Sua força tá na rima, no pandeiro, na pisada forte de sua sambada. Galo Preto sempre foi Patrimônio! Este prêmio não o legitima como mestre que ele sempre foi, mas o dá a possibilidade de ter reconhecido de forma ampla e com uma ajuda financeira merecida a sua trajetória difícil e bonita de vida.

Espero que essa nossa caminhada ainda dure mais uns 76 anos... Temos que desfrutar do verdadeiro sabor do coco nordestino ao som do Mestre Galo Preto, um artista único no que faz e da forma que faz... Uma pérola rara, um diamante da música nacional.


Alexandre L'Omi L'Odò
Produtor e sacerdote
alexandrelomilodo@gmail.com

4 comentários:

Ilê Axé Oxalá Talabi fundado em 1991 pela Iyalorixá Mãe Dada de Oxalá disse...

L'omi meu velho que fantástico!!! Adorei a notícia. Fechando um ano com muita força e conquista. Parabéns pelo esforço e pelo trabalho. Viva nossos Mestres Vivos!!! E Viva o Coco!!!
Abraço irmão!
Feliz 2012.
Júnior.

Rita Vasconcelos disse...

Parabéns a ambos! Cada qual em sua caminhada. Espero que o reconhecimento faça uma real diferença tornando o trajeto tanto de L´Omi e do Mestre Galo mais rico e produtivo.

Sandro de Jucá - Sacerdote Babalorixá e Juremeiro disse...

O que mas esperar de um conjunto solene de vital importância para Cultura Pernambucana, o Reconhecimento é valido mas um pouco tardío já passara até da hora,Mestre Galo Preto e Alexandre L"omi fazem um par perfeito ,A Cultura é mais uma vez prêmiada e o estado tem que reavaliar os tramites dessa homenagem e ser mas apressado em confirmar a legitimidade que o povo já deu, Vocês são Pau guiné !!!

Quilombo Cultural Malunguinho, Histórico e Divino disse...

O Mestre Galo Preto merece ser reconhecido agora nacionalmente pela grande contribuição que ele dá a cultura nacional. IPHAN, acorda!! Salve grande guerreiro, Parabéns, o senhor é sagrado!

Vídeos Negros nossos!!

Loading...

Quilombo Cultural Malunguinho

Quilombo Cultural Malunguinho
Entidade cultural da resistência negra pernambucana, luta e educação através da religião negra e indígena e da cultura afro-brasileira!